Foto por marcin krawczyk - https://pt.freeimages.com/photo/rope-v2-2-1193113

Primeira pessoa do plural (ou um pequeno pedido aqueles que pregam)

Nos últimos anos, ocorreu algo  muito positivo em nosso meio: o aumento do interesse no estudo da Bíblia entre uma parcela dos evangélicos brasileiros. Não é uma parcela grande, mas é uma parcela significativa se formos pensar em uma formação a longo prazo.

Este interesse gerou um outro interesse, este pela teologia reformada. E com isso ideias de movimentos como o puritanismo e o conceito (que não é errado, vale destacar) de alertar o pecado nas pregações. Se falamos que a fé cristã envolve uma mudança de vida, é necessário alertar por mudanças de comportamento. E novamente, isto não é ruim, mas por conta de umas coisinhas na nossa natureza humana, isso pode trazer algo bem complicado.

Muito estudo, em algumas pessoas, cria um espírito de arrogância e prepotência, e muitas vezes sem perceber, isto se reflete na forma com que a mensagem é pregada. A segunda pessoa do plural.

Vocês devem mudar.

Vocês estão em um caminho de erro.

Vocês precisam de arrependimento!

Perdão pelo trocadilho. Foto por marcin krawczyk

Esta forma de desenvolver uma mensagem em uma igreja dá a impressão que quem prega não faz parte dela. E que não precisa de mudança. O que não é bem o que Romanos 3:23 fala…

Porque não o nós? A primeira pessoa do plural!

Nós devemos mudar.

Nós estamos em um caminho de erro.

Nós precisamos de arrependimento!

Este é um cuidado que procuro fazer quando preparo uma mensagem. Inclusive dependendo do contexto eu tenho uma preferência em realizar questionamentos para o pessoal refletir como por exemplo: “Será que este caminho em que estamos é correto?” ou “Será que as nossas atitudes são adequadas?”.

Com esta pequena postura, podemos nos colocar em pé de igualdade com nosso interlocutor, reconhecendo-se como pecador, não dando a aparência de estar em posição de juiz e também mostrando ser parte da igreja assim como os ouvintes, necessitando sempre da orientação do Espírito Santo.

Que sou igual como meus irmãos. E esta postura é muito importante se formos pensar em formar mais e mais pessoas a longo prazo.

Nudez

Diante de um corpo nu, retratado numa tela temos algumas sensações, as quais, não são jamais as mesmas que teremos diante de […]

Vlog RG - PECADO

PECADO!

Porque muitos cristãos vivem como se tudo fosse pecado? Você já ouviu falar em “Cultura de Pecabilidade”? Veja sobre isso e mais […]