Ampulheta | Exército de um homem só com Giancarlo Marx – #12

Ampulheta12

Alguma vez na vida você já teve vontade de largar a Igreja? Bateu aquela BAD, e a certeza de que seria bem mais fácil e produtivo andar sozinho, sem ter que lidar com um monte de gente estranha e que pensa diferente de você? Então o que tenho a dizer é: BEM-VINDO AO CLUBE!

É verdade que andar em comunidade não é nada fácil. E parece que quanto mais plural e heterogêneo for este grupo, mais difícil fica. Por isso soa bastante razoável que a gente se divida em grupos por afinidade, nos cercando de pessoas com interesses em comum.

Aquilo que o passado foi condenado com a pecha negativa de “panelinha” mais tarde recebeu o status mais elegante e até sagrado de “ministério”. É ministério de louvor. Ministério de dança. Ministério de motocross. Ministério de capoeira. Ministério de videogame. Vale tudo pra que o grupo seja mais segmentado e as pessoas tenham menos trabalho pra se entender. É só estender a mão e apanhar um rótulo na prateleira e pronto.

Você já parou pra pensar como isso é bizarro? Parece até uma versão pós-moderna do filme A Cidade dos Amaldiçoados, com aquelas crianças estranhas, todas iguaizinhas, de perucas brancas e olhos vermelhos.

Outro caminho viável é o do isolamento. E este talvez seja o grande movimento que verificamos em nosso tempo, fruto de um individualismo cada vez mais latente. É que uma vez que não encontramos uma panel… digo… um “ministério” que esteja ao nosso gosto o que nos resta é largar tudo e seguir carreira solo.

Viver a vida de Cristo de forma livre, sem amarras, sem prestar contas e sem precisar carregar peso morto parece bem atrativo. Não é à toa que a cada ano cresce o número de pessoas que se identificam como “desigrejados” (seja lá o que essa palavra quer dizer).

É até natural que ao atingir a maturidade a pessoa se “desmame” dessa dependência, não é mesmo? Afinal Efésios 4:13 diz que a vida em comunidade é útil até que se chegue à maturidade. Olha só que legal! Isso significa que você alcançou a estatura de Cristo. Tá chique, hein?

SÓ QUE NÃO, né? Olha com atenção pro texto de Efésios 4:13. Ele diz que os ministérios são úteis… Até que todos alcancemos a UNIDADE que a fé e o conhecimento do Filho de Deus produzem. E amadureçamos, chegando à completa medida da estatura de Cristo.

Parece que o texto está TODO no plural, percebe? “Todos”, “alcancemos”, “amadureçamos”. E ele traduz uma palavrinha chave como principal indicativo de maturidade. Esta palavrinha é UNIDADE.

Observando o texto a partir dessa ótica parece que a tal estatura de Cristo continua inalcançável para qualquer indivíduo (UFA!). Mas quando juntamos nossos dons e características nos unimos em um megazord espirittal nos tornamos um verdadeiro robô gigante. Ou um Capitão Planeta se você preferir. É este megazord que Jesus chama de NOIVA e de IGREJA.

Pra concluir este pensamento quero deixar pra você uma leitura de Efésios 2:20-22

Juntos, somos a sua casa, edificados sobre os alicerces dos apóstolos e dos profetas. E a pedra angular é o próprio Cristo Jesus. Nele somos firmemente unidos, constituindo um templo santo para o Senhor. Por meio dele, vocês também estão sendo edificados como parte dessa habitação, onde Deus vive por seu Espírito.

Assim como um tijolo é casa, mas não se estiver sozinho num canto, o cristão só é igreja quando preserva o vínculo que faz dele parte de um todo, que é lindo, perfeito e completo.

Que essa unidade nos torne templo santo para a morada do Senhor, e que cada um de nós seja suporte para o outro.

Um forte abraço e até a próxima.

 

Reproduzir
Posted in Ampulheta, Podcasts and tagged , , , , , , .
  • Gabriellen Carmo

    Feliz por ver o mano Giancarlo sendo mais usado ainda pra edificar a gente. Mensagem importantíssima num texto sincero.

    “Assim como um tijolo é casa, mas não se estiver sozinho num canto, o cristão só é igreja quando preserva o vínculo que faz dele parte de um todo, que é lindo, perfeito e completo.” -> Isso foi lindo haha!

    A verdade é que ultimamente a gente tá tão marcado pelo consumismo e individualismo que não interpreta mais a Bíblia com uma visão comunitária e sim individual, esquecemos que o fruto produzido em nós não é pra nós e sim pro outro.

    Que Deus abençoe o projeto e espero mais dessas mensagens agradáveis!
    Beijo!

  • Tenho gostado de suas reflexões, Giancarlo. Feliz em tê-lo por aqui. 🙂

  • Giancarlo Marx

    É um prazer, Tamy. Sou fã de vocês e não é de hoje.

  • Giancarlo Marx

    Gaby, feliz demais com teu comentário. O individualismo é talvez o valor mais corrosivo que temos presenciado a invadir nossas estruturas sociais, tanto em relação à igreja, quanto à família e até mesmo às amizades. Com certeza é preciso reavaliar nossas prioridades. Obrigado por comentar.

  • Faço das palavras da Tammy, as minhas! ^_^

  • Giancarlo Marx

    Puxa, muito obrigado pelo carinho, Vinicius. Quero muito entregar algo à altura de todos vocês.

  • Luana Amorim

    Parabéns, Giancarlo. Interessante ter um outro ponto de vista a respeito disso…

  • Rapaz, esse tema é complicado, muito tem se dito de viver a espiritualidade de maneira avulsa, solitária, não existe igreja do Eu sozinho, falo isso num vídeo em meu canal (https://youtu.be/fQ0D3lkcR6E?list=PLZw1YXus-gbFJOlufcVmahxlyDr_PqELj). A relação com Deus pressupõe a relação comunitária, isso é fato bíblico. Que Deus continue te abençoando.

  • Giancarlo Marx

    Muito bem colocado, Giovanni. Tiago escreveu bastante sobre isso, né? Uma fé que se manifesta em ações. O amor a Deus expresso no amor ao próximo. Vou aprofundar mais nesse tema no próximo programa.

  • Giancarlo Marx

    Obrigado, Luana. Teria muito mais a dizer num nível teológico/pastoral, mas a proposta aqui é mais uma reflexão pessoal, né? Creio que este é um tema a ser tratado em amor, independente das convicções.

  • Luana Amorim

    isso ai, mano

  • Esse é um texto que escrevi já faz tempo, sobre essa temática:

    Esse povo imperfeito

    Lá não é, ao contrário que muitos pensam, um lugar de santos. Ao contrário, é lugar onde se reúnem os piores pecadores do mundo. Lá é um lugar onde pessoas são cheias de defeitos, embora alguns acreditem que lá não haja lugar para pessoas com defeitos. Lá é um lugar onde a imperfeição encontra-se com a perfeição, pra dizer a verdade, lá é um lugar onde a imperfeição se torna perfeição por meio de pessoas imperfeitas.

    Lá, você talvez não saiba, é o lugar onde hoje chamamos Igreja, Casa do Senhor. Muitas pessoas acreditam que nas Igrejas só vai quem tem o que pedir ou quem quer tirar vantagem, que só pessoas perfeitas e sem pecados entram na Igreja. Mas não é bem assim. Na Igreja não se vai pedir nada, se vai entregar. Não, não se vai entregar dinheiro, Deus não quer seu dinheiro. Deus quer sua vida, com defeitos e qualidades, para que por meio de você ele transforme não só a sua vida, mas principalmente a humanidade. É por meio do testemunho desse povo imperfeito que Deus quer transformar a humanidade, que anda imperfeita e distante dele.

    Por sermos imperfeitos, Deus nos quer por perto um dos outros, pois na minha imperfeição, com tudo de ruim que tenho, Deus me usa e usa a cada um de nós. A igreja é o lugar de pessoas imperfeitas, pecadoras e erradas. Todos somos, vamos então entregar nossas vidas à Deus e deixar que ele faça das nossas imperfeições a perfeição da proclamação do evangelho e do amor que ele tem pela humanidade.

    Deus nos chama, vamos alegres:
    Alegrei-me quando me disseram:
    Vamos à Casa do SENHOR.
    (Salmo 122.1)

  • Welington Leal

    Essa busca pela maturidade espiritual não é muito enfatizada nas igrejas não.

    #Somostodostijolos

  • Welington Leal

    Olha o Jabá do Alecrim!

  • Sempre temperado! Não, pera…

  • Giancarlo Marx

    Jabá bom é sempre bem-vindo. hehehe

  • Giancarlo Marx

    Mano, dá pra desenvolver mais isso aí.
    Pra mim, nem tudo que traz o nome IGREJA, é de fato igreja. E nem tudo que não traz o nome IGREJA não é igreja. Frequentar uma reunião não faz de ninguém uma igreja, saca? Ser igreja é andar em aliança. Por isso mesmo, se um determinado grupo não visa maturidade espiritual, eu não chamaria isso de igreja.