Teologia de Boteco | Cosplayers e Machismo, com Verônica Moraes e Beatriz Peixoto – #059

Vista sua armadura ou seu vestido de princesa, e vem pra cá, tomar uma gelada com as lindíssimas amigas Beatriz e Verônica  e conversar um pouco sobre as tretas que as meninas passam nos eventos em que elas vão, de COSPLAYERS, aturando gente mal educada e grosserias de homens que não sabem os limites da civilidade…

Alem disso, estou estreando uma nova identidade visual para o TEOLOGIA DE BOTECO.

#DesculpaAtrasar #DeComidaAoCosplayer

TB_059

AGRADECIMENTOS ESPECIAIS Para Fabiane Barros, que participaria, mas não pode :/ , ao grande Rafael Bueno, que me apresentou a menina Fabiane Barros, e à grande amiga Grécia, do podcast As Mathildas (com H) que fechou o contato com as duas convidadas que participaram hoje

#DeComidaProCosplayer

links:

Texto que deu origem ao podcast – aqui

Cast Wars – aqui

Comercial antigo da Tesoura do Mickey – aqui

Posted in Teologia de Boteco and tagged , , , , .
  • Tia do Bátima

    Excelente programa! Já tinha visto a postagem do Buzzfeed e tinha achado muito triste tudo isso. O sentimento de repulsa e revolta só aumentou com o relato das participantes.

    Por conta do tipo de cultura pop que costumo consumir (filmes, jogos e quadrinhos) poderia ser considerado um nerd. Mas sou meio antissocial e já tenho 80 anos (mentalmente – estou chegando biologicamente a esta idade aos poucos) e não costumo ir a encontros nerds como CCXP e afins. Só fui no FIQ de 2015 até hoje. Com isso, nunca tive muito contato com o cosplay, e, portanto, tive pouco contato com o assédio e os abusos relatados no programa.

    Enquanto ouvia, fiquei pensando uma coisa: quantas pessoas ao invés de chegarem, tirarem foto e irem embora não sentam e conversam com cosplayers? Imagina você almoçar com a personagem que mais admira ou até sentar no meio-fio e bater papo… Pra mim isso faz muito mais sentido do que a forma insensível como as cosplayers são tratadas nos eventos.

    Mais uma vez, ressalto como a empatia faz falta nos dias de hoje. E a analogia com o garotinho FDP da tesoura do Mikey faz todo sentido: somos uma sociedade mesquinha. Na maior parte do tempo só pensamos em acumular qualquer coisa, e esta coisa é tão preciosa para os donos que não pode ser tocada ou compartilhada. No caso, vemos a mesquinhez com os personagens interpretados pelas cosplayers. Como relatado, as moças são hostilizadas por pessoas que se acham os donos desses personagens (o caso da moça do Wookieepedia foi tragicômico). Mas ressalto também uma impressão que tive: como os caras se acham os donos dos personagens, estes personagens fazem partes de suas fantasias (sexuais ou não, mas principalmente sexuais), então as cosplayers que estão dando vida aos personagens passam a ser vistas como pertencentes a esses FDP, levando aos assédios e abusos. Tudo isso se mistura com o machismo nosso de cada dia e o resultado está aí.

    Agora, imagina um mundo em que o pessoal da própria classe consiga ser empático, isto é, seru manos que consideram os outros em suas próprias necessidades e capacidades… Imaginem nerds que celebram a nerdice juntos…

    Ainda temos muito caminho pela frente. E com certeza este programa e o posicionamento de pessoas como a Beatriz e a Verônica ajudam a colocar mais um tijolinho na construção de um mundo melhor.

    Excelente programa. Sempre que possível vou mostrá-lo pros amiguinhos nerds bazingueiros.

    Amplexos ursídeos.

  • Caio Cesar Scholze Cirine

    SENSACIONAL!
    Sempre quis ser um cosplayer mas sou muito shy pra fazer. Haha

  • Welington Leal

    Grandessíssimo Irmão e companheiro Cristiano Machado, o Barba!

    Saibas que eu escuto sempre seu programa e por pura preguiça não comentava.
    Mas numa madrugada insone vi tu lendo os comentários.

    Então me convenci de escrever a ti e ouvir as minhas palavras em sua suave voz.

    Não sou da galera de cosplay, mas esse ambiente nerd, geek, gamer é tóxico pelo machismo.

    Infelizmente a falta de respeito é constante e as meninas não deveriam deixar de lado e falar a real mesmo nesses babacas, para ver se tomam vergonha na cara.

    Da próxima , vamos de segurança das meninas kkkk

    Abraços.