Teologia de Boteco | Bullying e intimidação na internet – #048

Olá meninos e meninas… Hoje veio no boteco a grande Andréia Santos, lá do Canal Telescópio, para falar sobre esse tema nada divertido, mas como ela é, alem de advogada especialista em direito virtual, uma amiga queridissima, o programa ficou ótimo 🙂

Outra amiga querida, a Luana Amorim, colabora com um comentário sobre o ultimo programa.

Teologia de Boteco 48 Bullying e Intimidação na Internet

ps.: O TEMER AINDA NÃO CAIU

 

Reproduzir
Posted in Teologia de Boteco and tagged , , , , .
  • Tia do Bátima

    Cara! Queria muito ser amigo da Andréia. Ela é muito massa!

    Parabéns pelo programa, pela coragem de abordar mais uma abordagem espinhosa, e por esclarecer tanta coisa.

    Como qualquer anarquista (de merda) sou contra qualquer forma de hierarquização e subsequentes dominação e opressão. Já sofri bullying, já cometi bullying, e só depois que saí da adolescência consegui me posicionar a respeito disso.

    Já a treta da pornografia de vingança, felizmente nunca tive contato com alguém envolvido. Ainda que conheça casos de adolescentes e adultos que sofreram, só tive contato com pessoas que sofreram abuso sexual e moral mesmo…. Eita mundão de meu Deus…. [parada na digitação por motivos de: puteza] [coloque seu video preferido do Alborghetti pistola aqui]

    Às vezes me pergunto: quando que a humanidade vai entender que toda forma de opressão fode tanto com a vida dos oprimidos quanto com a dos opressores? Só mentaliza o dia em que a galera tem essa epifania…

  • Foda… eu sofri uma ameaça específica e sistemática de um cara repetente, lá por volta dos 13 anos.
    Ele era muito espaçoso, mas eu sentia pena dele. Ele era solitário e as pessoas só ficavam perto dele porque ele chegava coagindo e oferecendo coisas.

    Acho que existem diversos fatores que podem tê-lo levado àquele comportamento, mas o que sustentava aquilo, certamente era o clima de competição entre crianças. Como se houvesse uma cobrança de que um fosse melhor do que o outro. Até as meninas, num espectro de objetificação, já tinham uma postura de ser a mais desejada.

    Acredito que, como disse a Andréia, vem uma geração de pais mais conscientes, filhos mais libertos e tal. E por isso o show tem que continuar! Tá marcada a próxima gelada?!

  • de dentro de instituições evangélicas, muito dificilmente não teríamos tido contato com quem passou por abusos morais…

    c:insercoes_videosDalborgaPuto.mp4

  • sobre ser amigo da Andreia… Ela é uma gracinha <3

  • “mas o que sustentava aquilo, certamente era o clima de competição entre crianças” é complexo isso, pois alguns afirmariam que isso é NATURAL… eu não sei se concordo… crianças educadas de maneira a serem solidárias acabam sendo muito menos competitivas… Enfim, quem nunca se fodeu com um valentão na escola, que atire a primeira pedra…

  • Tia do Bátima

    Nu. Só agora que vi seu comentário.

    É foda mesmo esse trem de bullying na escola. Já estive dos dois lados, e hoje vejo como isso tudo é muito danoso.

    Concordo com a ideia de que existe muita competição na escola. Mas também concordo com o Barba no que tange à naturalidade disso. Hoje, pesquisas em psicologia cognitiva têm apontado para a presença do que chamam “neurônios espelho”, que seriam locais no cérebro em que encontramos uma manifestação física da empatia. Basicamente, seriam esses neurônios espelho que permitem aos animais com cérebro mais complexo (incluindo os seres humanos) imitarem o comportamento uns dos outros. Ainda falta muita pesquisa em torno do assunto para dar uma certeza maior, mas parece que, até em termos biológicos, os comportamentos, as ideologias e as identidades são em grande parte formadas em uma pessoa de acordo com o ambiente que ela está. Se em uma escola, ano após ano, o climão de competitividade persiste, a consequência são as crianças que entram também serem/se tornarem competitivas.

    Também torço muito para que as próximas gerações entendam a importância do próximo. Mas não sei se verei isso em vida…