Teologia de Boteco | Bullying e intimidação na internet – #048

Olá meninos e meninas… Hoje veio no boteco a grande Andréia Santos, lá do Canal Telescópio, para falar sobre esse tema nada divertido, mas como ela é, alem de advogada especialista em direito virtual, uma amiga queridissima, o programa ficou ótimo 🙂

Outra amiga querida, a Luana Amorim, colabora com um comentário sobre o ultimo programa.

Teologia de Boteco 48 Bullying e Intimidação na Internet

ps.: O TEMER AINDA NÃO CAIU

 

Reproduzir
Posted in Teologia de Boteco and tagged , , , , .
  • Tia do Bátima

    Cara! Queria muito ser amigo da Andréia. Ela é muito massa!

    Parabéns pelo programa, pela coragem de abordar mais uma abordagem espinhosa, e por esclarecer tanta coisa.

    Como qualquer anarquista (de merda) sou contra qualquer forma de hierarquização e subsequentes dominação e opressão. Já sofri bullying, já cometi bullying, e só depois que saí da adolescência consegui me posicionar a respeito disso.

    Já a treta da pornografia de vingança, felizmente nunca tive contato com alguém envolvido. Ainda que conheça casos de adolescentes e adultos que sofreram, só tive contato com pessoas que sofreram abuso sexual e moral mesmo…. Eita mundão de meu Deus…. [parada na digitação por motivos de: puteza] [coloque seu video preferido do Alborghetti pistola aqui]

    Às vezes me pergunto: quando que a humanidade vai entender que toda forma de opressão fode tanto com a vida dos oprimidos quanto com a dos opressores? Só mentaliza o dia em que a galera tem essa epifania…

  • Foda… eu sofri uma ameaça específica e sistemática de um cara repetente, lá por volta dos 13 anos.
    Ele era muito espaçoso, mas eu sentia pena dele. Ele era solitário e as pessoas só ficavam perto dele porque ele chegava coagindo e oferecendo coisas.

    Acho que existem diversos fatores que podem tê-lo levado àquele comportamento, mas o que sustentava aquilo, certamente era o clima de competição entre crianças. Como se houvesse uma cobrança de que um fosse melhor do que o outro. Até as meninas, num espectro de objetificação, já tinham uma postura de ser a mais desejada.

    Acredito que, como disse a Andréia, vem uma geração de pais mais conscientes, filhos mais libertos e tal. E por isso o show tem que continuar! Tá marcada a próxima gelada?!