Teologia de Boteco | Vegetarianos, Veganos e Carnistas com Jonathan Bassut – #042

Hoje no bar, eu e o Jonathan Bassut sentamos num barzinho pra tomar uma cerveja e uma porção de azeitona e batata, afinal de contas, hoje vamos falar sobre Vegs e Carnistas 🙂
Puxa um banco e vamô nessa!

17571723_1057885010978550_1928832715_o

O podcast com a menor duração e maior nome de todos, todos, todos os tempos: link

Reproduzir
Posted in Podcasts, Teologia de Boteco and tagged , , , , , , , , .
  • Osmar Gomes

    Ouvi hoje, algumas questões:
    1. Se fazemos parte de um ecossistema (desconsiderando a perspectiva bíblica de que o ser humano é proeminente na criação), este simples fato não torna a discussão inócua?
    2. Se a reposta do ponto 1 for sim, minha tarefa não deveria se limitar a buscar não consumir os recursos naturais de maneira desequilibrada? E lutar por isto na instâncias cabíveis.
    3. Se a 1 e 2 forem sim, a questão de trabalho escrevo é tortura de animais não se torna um outro assunto completamente diferente? Associar ao veganismo não é trazer um outro assunto para a discussão apenas para entremeter o argumento?

    Perguntas sinceras no desejo de aprender. Já decidi diminuir a carne no dia a dia. 😉

  • Pedro

    Primeiramente gostaria de dizer que se a pessoa se coloca numa situação de superioridade, ela já precisa upar um pouco mais pois veganismo não é isso. Ser vegano é ter total ciência que você impacta todo um meio, que dificilmente você vai conseguir deixar de impactar 100% e que sua intenção é tentar fuder menos. Desculpe os mais conservadores mas em alguns momentos de assemelha ao cristianismo, não é legal, você se restringe mas faz isso em pró de algo maior.
    Acho que tem sim que culpar o capitalismo, a merda toda acontece por conta dá maximização dos lucros, o que só aumenta a exploração não só mesmo dá mesma espécie e que tratar a criação dessa forma é um desrespeito até à Deus.
    O veganismo tudo se dá um jeito, exemplo eu faço comida pra semana inteira e congelo e que falar “não da” ou continuar contribuindo com um ciclo tão destrutivo é conformismo e isso é muito pior.
    Que não tem como ser vegano e ter posicionamentos conversadores por simples incoerência e finalmente, se não criticar essa galera que se diz vegano e não faz a crítica pessoal e boicote é a eterna solução de readequação do mercado.
    Falando sobre microorganismos e qualquer espécie até a as esponjas, o ponto é não terem sistema nervoso.
    Acredito que a carne fraca foi para tirar o foco dá carne fraca.
    Sobre o palestrante, tem um vídeo do pirula contradizendo isso, bem interessante
    https://youtu.be/SOhXPRhHEWY
    Comentários biológicos e evolutivos aconselho a leitura desse livro:
    https://g.co/kgs/fHrZ7y
    App para consulta de marcas livres de trabalho escravo:
    https://play.google.com/store/apps/details?id=br.org.reporterbrasil.modasemescravos
    Fodac foi textão mesmo

  • Caio Cesar Scholze Cirine

    Esse lance de preocupação ecológica me pegou. Recentemente eu reduzi brutalmente a quantidade de carne vermelha que como no dia a dia, não tirei tudo, ainda como carne vermelha eventualmente, mas reduzi. É muito difícil alcançar o vegetarianismo e veganismo, mas acho que um dia chego lá, talvez quando eu morar sozinho esse processo facilite.

  • Jonathan Bassut

    Vai treinando cozinhar umas paradas sem carne cara. A nossa relação com a comida mudança bastante quando a gente sai do comum.

  • Heber Q.

    Sobre o este cast dos vegan, ficou bem da hora a analise do outro lado do muro. Mesmo assim a ultima parte sobre a memetizaçao da politica na boca do povo esta deixando razo os debates serios e concretos. Dentro da esquerda o que vejo tambem é esse elitismo aponta o dedo e qual nao esta isolado no Brasil, la fora esta pior e meio que parodia abaixo fala disso, mas o mais preocupante é o hiperuso da lei de Godwin pelo pessoa da esquerda geral contra o pessoal de direita e para qualquer pessoa que critique sua posiçao.

    https://www.youtube.com/watch?v=2AhGYo9TExU

  • Heber Q.

    Mas sobre o tema em si tipo nao discordo mas nao concordo. Entendo a posiçao sobre o valor da vida mas na sinceridade a possibilidade de pratica depende muito da cultura ou sociedade, Tipo enquanto a culturas-religioes que sao pro vegetarianismo(Paises hindu – budistas) a outras que a base sao voltadas em torno do consumo de animais, tipo tribos africanas, povos polinesios e povos com poucas terra para agricultura. E uma mundo de mao dupla, se der otimo e se nao der tambem otimo pois as posiçoes estao abertas.
    Mas de boa vive em Cingapura e tipo tive contato com uma grande camada de vegetarianos e de boa, esse condenamento etico ou debate pro ou cntra carne é inexistente. O vegetariono como seus alimentos e o carnivuros os seus e pronto, todo mundo em paz.
    Acho que como voce falou o maior problema nao é exatamente o consumo mas o prorpio mercado de agro negocios que tenta satisfazer nossa sociedae consumista e de certas formas quebra leis e normas para satisfazer tal consumismo.

  • Gostei muito principalmente porque nos circulos que frequento o tema não é bem discutido e sempre termina em discussões sem sentido com frases feitas de meme! é importantíssimo o diálogo com pessoas que sabem defender a sua escolha e neste caso o Jonathan deu um show! Obrigado pela aula de conscientização! Abraço!

  • Celso Rosa

    Cara, achar que a Carne Fraca é uma jogada pra desviar a atenção chega a ser infantil! Olha o prejuízo para o país, econômica e politicamente! O governo tá de cabelo em pé com a situação!

  • explica melhor sua primeira questão, Osmar

  • Boa conversa!
    Acho que poderiam ter tentado falar um pouco sobre o argumento da saúde, sobre a dieta não-carnista (acho muito hilária esta expressão “carnista” porque………………… eu sou idiota).

    A questão ambiental é interessante por causa dos custos em recurso não-renovável para produção e o desmatamento para transformação em pastos, mas questiono ao @jonathan_bassut:disqus, como farmacêutico(? Entendi certo?): Quanto da diminuição deste consumo, realmente, vai livrar a nós — Brasil da potência ambiental — de sermos o campo do mundo? Pois, a projeção de consumo até 2025 especula que se consuma no país mais frango e porco. Além disso, a produção não pode ser escoada para o exterior?

    A sua dificuldade de substituição dos nutrientes não é a realidade da maioria esmagadora da população brasileira?

  • Tia do Bátima

    Ótemo programa.

    Tragam mais vezes o @jonathan_bassut:disqus. Gostei muito das críticas e dos apontamentos – e possíveis soluções.

    Vou confessar meu pecado aqui: sou carnista, filho de carnista e casado com uma carnista (minha esposa é do sul da Argentina, imagina o apetite da bixa no churrasco).

    Há um tempo venho pensado um pouco sobre esses assuntos. Os anarcomiguxos também têm falado ultimamente sobre a relação entre o pensamento progressista (no Brasil, associado aos que se associam mais à esquerda no espectro político) e o veganismo/vegetarianismo – o que tem colaborado com minhas elucubrações.

    De fato, a leitura bíblica que tem sido feita é: o ser humano é o pináculo da criação, e por isso tem direitos e deveres sobre ela. O problema é que isso distancia o seru mano do seu ambiente, levando a uma apropriação da natureza. Isso é muito problemático, pois uma única espécie acaba gerenciando as demais.

    Conversei com a esposa e estamos realmente pensando em seguir a recomendação de não comer carne em um dia da semana. Vamos estudar as possibilidades e começar com um dia de cada vez. Um consulta rápida: alguém aí tem recomendações de sites ou livros que tratam de dietas veganas para atletas? A gente faz muito exercício, e acredito que simplesmente retirar a carne da dieta vai dar problema.

    Mais uma vez, parabéns pelo programa e pela coragem de tocar na ferida (o que ficou bem evidente nos comentários aqui em baixo).

    Amplexos ursídeos.

  • Jonathan Bassut

    Muito obrigado, cara! Fico feliz que tenha gostado.

  • Jonathan Bassut

    Confesso que não entendi muito bem também. Se puder reformular a primeira, acho que posso responder melhor do que eu responderia agora.

  • Jonathan Bassut

    Cara, adorei seu comentário. E vou recolher referências aqui sobre dieta vegetariana para atletas. O que posso dizer é que existem diversos atletas de alto rendimento que são veganos/vegetarianos, então não acho que vocês terão problemas, mas é bom irem devagar mesmo, no tempo de vocês. Assim que eu tiver referencias, eu coloco aqui. Abraços!

  • Jonathan Bassut

    Hahaha. Muita gente acha carnista um termo estranho. Eu prefiro carnista, porque o sufixo -ista exprime uma ideia de adepto, enquanto que o termo mais usado, carnívoro, tem mais a ver com uma questão biológica, então eu acho errado. Felinos são carnívoros, o ser humano não. rs

    Excelentes questionamentos!

    Poderíamos ter entrado na questão da saúde sim, mas como não tínhamos uma pauta e o teologia de boteco tem esse formato muita coisa fica de fora. Mas isso deixa assuntos para serem discutidos aqui, o que é interessante.

    Então… pensando por uma ótica capitalista, existe uma questão de oferta/demanda. De maneira simplista, quando a produção é maior que a demanda, você tem diminuição do valor do produto. Então para o produtor é interessante que a produção seja equiparável à demanda, de modo que ele não esteja produzindo mais e lucrando menos. Sendo assim, uma diminuição na demanda, pode fazer com que o produtor diminua a produção, uma vez que a participação do mercado interno nesse setor é extremamente maior do que a exportação. Não me parece viável que toda essa carne seja exportada para o exterior. Eu acredito que a diminuição de demanda ocasione uma queda na produção.

    Outro grande problema é que grande parte da nossa terra hoje é usada pra plantio de soja para produção de ração para a pecuária no geral. Isso torna a carne um produto de alto valor agregado. Então, reduzindo a demanda com consequente redução da produção, a tendência é a diminuição da produção desse tipo de grão. Lembremos todas as vezes que vimos produtores preferirem descartar os excessos da produção a colocar isso no mercado e diminuir o valor do produto. Em teoria isso poderia ser exportado também, mas não é o que acontece.

    Eu acredito que minha dificuldade seja a mesma da maioria, sim. E de novo, entramos na questão de oferta e demanda. A produção de agrícola para consumo humano é pequena, o que torna esse mercado um pouco caro para determinados produtos. É possível imaginar que uma diminuição da pecuária possa diversificar e ampliar a produção agrícola tornando certos produtos mais acessíveis, com grande diminuição do dano ambiental.

    Espero ter respondido satisfatoriamente. Agora, se você responder aqui eu serei notificado e tento responder o quanto antes.

  • Jonathan Bassut

    De fato, não acho que seja muito inteligente.

  • Jonathan Bassut

    Tribos africanas caçam ou pastoreiam em uma quantidade extremamente menor do que produzimos hoje. Em países onde uma dieta vegetariana é um fator incentivado sócio-culturalmente (de maneira não-religiosa), seja pela pouca disponibilidade de terras ou algum outro fator que encareça a carne, me parece difícil haver um debate sobre a ética, uma vez que conviver com carnistas não é a realidade deles. O problema é sim o consumo, mas não se muda isso incentivando o consumo.

  • Jonathan Bassut

    Concordo perfeitamente.

  • Jonathan Bassut

    Eu falei sobre o Gary Yourofsky, só não lembrei o nome do rapaz. rs. Esse video do Pirula é excelente. Sobre o que é ser vegano de verdade, bom… tenho certeza que essa opinião varia de vegano pra vegano.

    Sobre dar um jeito, a questão é quando você tem dificuldade no acesso aos produtos. É claro que pode se dar um jeito, mas o que quis dizer é que isso é mais dificultoso pra uns do que pra outros. Eu estou indo pra Portugal agora e pretendo ter uma dieta vegana por lá.

    Depois dou uma olhada nesses links. Obrigado pelo comentário.

  • Pedro

    Oi Jonathan,
    Sim, nossas “verdades” sobre o veganismo podem não ser absolutas, mas sendo contrárias ao “antropocentrismo” vegano/vegetariano já podemos dizer que estamos no mesmo caminho.
    A parte do “sempre se dá um jeito” foi mais uma provocação heheheheh mas por mais difícil que possa parecer, sempre é viável.
    E boa sorte nessa jornada, força que você consegue

  • Se falar meu nome três vezes eu apareço na sua frente ajoelhado com um buque de alface e um anel de cebola.

  • Gregori Maus

    ô Barba, de quem é a música de abertura? Abração!

  • Vazio na cerveja, da banda Pata de Elefante (recomendo todas as musicas deles, serio) https://open.spotify.com/track/1yizSy4Il1mcntAg9fnvsE

  • Suco de fusca… Suco de fusca… Suco de fusca…

  • Gregori Maus

    Valeu! Aliás, cast excelente, diga-se de passagem!

  • Eliamar

    Muito bom o podcast. Pelas conversas que tenho com alguns carnívoros o final é sempre o mesmo, nunca tentaram ficar sem comer carne. Já nem tento mais discutir a respeito disso pq prefiro respeitar a “escolha” da pessoa. O triste é que o inverso dificilmente é o mesmo, sempre as mesmas piadinhas prontas contra vegetarianismo.